8 de jul de 2009

Saravá, Vinicius!

"Meu Vinícius de Moraes / Não consigo te esquecer / Quanto mais o tempo passa / Mais me lembro de você / Cadê meu poetinha, cadê minha letra, cadê? / E morro neste piano / De saudades de você"
Antônio Carlos Jobim


No dia 9 de julho de 1980 o Brasil perdeu seu poetinha. Conhecido como um boêmio inveterado, fumante e apreciador do uísque, era também conhecido por ser um grande conquistador. O poetinha casou-se por nove vezes ao longo de sua vida.
Sua obra é vasta, passando pela literatura, teatro, cinema e música. No campo musical, Vinicius teve como principais parceiros Tom Jobim, Toquinho, Baden Powell e Carlos Lyra. O ano de 1958 marcaria o início de um dos movimentos mais importantes da música brasileira, a Bossa Nova. A pedra fundamental do movimento veio com o álbum "Canção do Amor Demais", gravado pela cantora Elizeth Cardoso. Além da faixa-título, o antológico LP contava ainda com outras canções de autoria da dupla Vinicius e Tom, como "Estrada Branca", "Outra Vez" e "Chega de Saudade", em interpretações vocais intimistas.
Ao mestre Vinicius... todo meu respeito e admiração.

Tomara
Que você volte depressa
Que você não se despeça
Nunca mais do meu carinho
E chore, se arrependa
E pense muito
Que é melhor se sofrer junto
Que viver feliz sozinho
Tomara
Que a tristeza te convença
Que a saudade não compensa
E que a ausência não dá paz
E o verdadeiro amor de quem se ama
Tece a mesma antiga trama
Que não se desfaz
E a coisa mais divina
Que há no mundo
É viver cada segundo
Como nunca mais

2 comentários:

Aline disse...

Depois de Clarice, ele é meu preferido.

Silvia Gonçalves disse...

Lindo!!
Acho ele uma coisa muito fofa...
Incrível ler estas palavras e saber que vieram de um homem né...