26 de out de 2008

Vida

...
O amor é o ridículo da vida. A gente procura nele uma pureza impossível, uma pureza que está sempre se pondo. A vida veio e me levou com ela. Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga ideia de paraiso que nos persegue, bonita e breve, como borboletas que só vivem 24 horas. Morrer não doi.
...
Cazuza

3 comentários:

R.Vinicius disse...

Adoro Cazuza. =) Gosto muito do seu Blog. Abraço, até breve,

R.Vinicius

R.Vinicius disse...

Thays tá tudo bem contigo? Abraço, ótimo domingo, até breve,

R.Vinicius

Glau Ribeiro disse...

Thays,

Bom receber sua visita. Volta sempre. A porta eu deixo encostada e nem precisa bater. =)

Obrigada pelas palavras.

E bem colocado essa frase do Cazuza. Lembrei de um texto chamado "Viver não dói", do Drummond, já leu? Perfeito pra mim.

"[...] A cada dia que vivo,
mais me convenço de que o
desperdício da vida
está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca,
e que, esquivando-se do sofrimento,
perdemos também a felicidade."

Beijo!