2 de abr de 2009

O tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...

Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.
Mário Quintana

Ps. Pensei por horas e dias sobre o que escrever. Mas me preservo no direito de permanecer calada, controlar meus sentimentos, perceber os sinais. Daí sim, quando diversos cacos estiverem unidos, quem sabe consturirei a melhor, mais bonita, firme e resistente vidraça.

2 comentários:

Mariana Camilo disse...

Mais perfeito do que o texto...
São as Obs's..sinceras, exatas e profundas!

;*

Glau Ribeiro disse...

é que Mario Quintava tem esse dom de falar por nós quando a voz embarga, quando o som não sái. Aí ele faz bonito, assim. Dizendo exatamente o que coração da gente sente, num é? E é lindo deixar-se mostrar através dele. Pra depois florescer sozinha, quando tudo estiver mais calmo. Desejo que o calmo chegue. =D

Beeejo.