24 de nov de 2008

Toda rotina tem a sua beleza


Ela acordou como todos os dias. A rotina ainda atrapalha, tornou-se um vício. Mesmo assim, é sempre surpreendente acordar as 7:15h.
Como sempre, fez o que faz todas as segundas-feiras. Vestiu a calça jeans, a blusa preta e foi. Aquele dia parecia diferente.
As pessoas estavam agitadas, os telefones já tocavam, as luzes já haviam se apagado, via-se lixo pelas ruas. Ela estava atrasada.
O fato de estar fora do horário não era o que a incomodava.
Era a falta daquele simples prazer de ver as ruas claras, ouvir música, pensar na vida e observar os prédios. A rotina cansa e a idéia era buscar novas alternativas.
Desde o primeiro abrir de olhos até o sono da madrugada.
As espectativas estavam nela, apenas nela. Ninguém seria o responsável por qualquer felicidade. Ninguém anda para trás e ela não andaria.
O sentido estava em buscar, mas dentro de si.
Essa conquista se tornou tão 'absurdamente' grande que ninguém mais a surpreende.
O amor está nas coisas simples, puras e verdadeiras.
Nada de exageros e brilhos extras.


O coração é a rotina da batida
A rotina do equilíbrio é a medida
O vento é a rotina do assobio
A rotina da pele é o arrepio

Nenhum comentário: