18 de out de 2010

Admirar-se do que é natural

Conversei com a saudade e fizemos as pazes. Era melhor mesmo chegarmos a uma solução tranquila que fizesse meu coração acalmar de vez. E hoje, estou cantarolando como  a melhor música da vitrola. Encontrei a melodia perfeita para uma vida distante do comum.   
Deixei os planos de lado e resolvi admirar o que existe aqui, agora, neste instante. Estou amiga de um presente único, onde as belezas mínimas são vistas com  lupa e valorizadas a cada milímetro. Me contento com essa alegria boba de estar aqui, com um sorriso enorme e uma verdadeira vontade de voar bem alto. Pode parecer estranho, mas essa nova direção ou nao direção de rumos me fez enchergar a vida com outros olhos.  É fantastico perceber a doçura do ser humano. É gostoso sentir saudade. É alucinante perceber o que existe de bom, especialmente quando ele existe da forma mais simples possivel. 
Hoje sou amiga e admiradora do tempo. 
Por que ainda que tudo possa ser difícil e diferente, ainda existe a vontade. E quando ela existe, nada, nem ninguem pode evitar que o encontro aconteca.

3 comentários:

Garon Piceli disse...

Realmente ser truta do tempo é uma característica única!

Inglid Rafagnin disse...

Alguém já te disse que você arrasa?

Tainá Facó disse...

"Admirar-se do que é natural é que é o bacana", lembra?

Você é linda, amiga!