2 de set de 2009

Passava das sete e quarenta e cinco da manhã. Com cabelos soltos e a flor de sempre, ela ia em direção ao mundo. Mais um dia. E a boa e velha rotina vinha a tona. Na esquina, ela pára e pensa em comprar um pão de queijo para o café da manhã. Dá dois passos em direção a padaria e encontra alguém na rua. Um alguém que um dia foi tão especial quanto todos os sentimentos dela. Com sorrisos e simples olhares, eles se cumprimentam, abraçam-se e cada um segue seu destino. Sem se quer trocar duas palavras, cada um segue sua história. Eles já se conheciam. Sabiam que com um simples olhar, o afeto estava presente. Não precisavam de histórias, de apertos de mão e de perguntas clichês. Eram penas duas pessoas que um dia cruzaram o mesmo caminho, e hoje, seguem rumos distintos e felizes. O grande mistério do tempo falou mais alto naquela manhã. Ela pensou em como tudo pode se transformar com o passar dos dias. Desde uma fotografia que fica envelhecida na gaveta até sentimentos que juram ser imortais. Aquela manhã foi o momento exato de se encontrar e conversar com o tempo. Como ele era realmente seu amigo. Talvez tenha sido difícil perceber, mas ela via, cedo ou tarde, que ele fizera milagres com sua pessoa. Bastava ver alguém que ela um dia amou e sentir que nenhum músculo saia de seu lugar. Estranho. E foi estranho até o cair da noite. Ela pensava, sorria e via como a vida era boa. Todos aqueles sentimentos e sensações ficaram para trás. Aquilo não mais afetava seu estado de espírito e nem sequer fazia cócegas no estômago. ‘Ora que bobagem’. Sim, a vida era uma bela bobagem, e talvez os outros só descubram quando dialogarem com o tempo.

4 comentários:

Silvia Gonçalves disse...

Que coisa ... vc me fez pensar....

A vida é uma bela bobagem....

Bjos

Felipe MK disse...

Não acho isso não! Amor que é amor, sinto muito, mas a gente só !acha! que o tempo apaga... Alguma coisinha a gente sente o resto da vida... se não, não foi amor!...

Muito lindo o texto!

Beijos querida! Deus te abençoe!

Paloma Flores disse...

Delícia essa de olhar para trás sem ressentimentos nem sentimentos de quem já cruzou nosso caminho, não?

Luciana disse...

lindo! Demais!


Thays? tem selo la no meu blog pra vc, resgata ele lá ;**