31 de mar de 2011

Fuck you

Se algo está em falta nesse mundo é o respeito.

Como era bom o tempo em que ele existia nas casas, nas escolas, nas empresas...Como era gostoso ser bem atendida, responder a uma gentileza e sorrir para as pessoas. Hoje, no auge desta ausência, sinto que o mundo está cada vez pior. Mas para não generalizar logo de cara, falarei de Foz do Iguaçu, uma cidade no interior do Paraná, que por sobreviver do turismo deveria dar exemplos as grandes metropoles.

Infelizmente, o que acontece é o contrário.

O que vejo – e diariamente – são pessoas mal humoradas, insatisfeitas com seus empregos ou os rumos da vida. Gente que deveria estar em casa dormindo e tomando maracugina ao invés de trabalhar, estar no trânsito ou lidar com as pessoas. E falo da falta de respeito de forma geral, desde cobradores de ônibus, atendente de farmácia, padeiro, garçom, vendedores, lojistas até o gerente do banco. Pessoas como eu e você, mas que por algum motivo (falta de sexo) acordam azedas diariamente e insistem em estragar a vida alheia.

Não são raras as ocasiões em que eu ou qualquer colega de profissão é obrigado a ouvir desaforos – por telefone ou pessoalmente. E a única conclusão a que chego é: pessoas mal informadas não deveriam emitir opiniões, uma vez que estas sempre serão infundadas e sem importância.

“Porque no te callas?” diriam nossos hermanos. E esta é a frase que gostaria de dizer toda vez que preciso lidar com pessoas mal educadas. Porque vocês não fecham a boca? Hein hein? (É claro que não escreverei a lista de palavrões que me passam à cabeça neste momento, já que eu sempre fico na vontade e nunca revido o mal educado).

O pior de tudo isso é que quando somos bem atendidos em uma loja por exemplo, achamos isso o máximo, indicamos aos amigos e voltamos sempre ao lugar. Quando na verdade este comportamento deveria ser comum.

Sabe aquele ditado do “faça o bem sem olhar a quem"? Pois então, seguirei a risca o que vovó me ensinou. Manterei minha postura e minha total sensatez toda vez que uma senhora desvairada ligar as 19h00 a redação de um jornal (cujo horário de fechamento comercial é as 18 horas) achando ser a dona do mundo. Nestas horas, faço minha tarefa para situações de terror: conto até dez e penso em muitas, muitas palavras feiras!

Por que afinal, mais vale manter a educação do que se aliar ao grupo dos mal amados.

Fuck you.

Fuck you very, very much

29 de mar de 2011

Guimarães Rosa escreveu: "Viver é um descuido prosseguido"
Sigo à risca. Me descuido e vou... Quebro a cara. Quebro o coração. Tropeço em mim. Me atolo nos cinco sentidos.
Viver não é perigoso? Então, com sua licença! Não tenho medo. Nasci assim. Descuidado. Encantado pela vida. "O sertão é dentro da gente". Ah, como não?
Aqui tudo é perdido. Tudo é achado. Somos ferro e fogo. Perigo nunca falta! Sertão é igual coração. Se quiser, que venha armado!
Tudo é igual. Aqui se vive. Aqui se morre. Dentro e fora da gente. Confusão demais em grande demasiado sossego.


Ps. O texto acima não é meu. É de um amigo que prefere manter o anonimato, embora muito em breve o mundo o reconheça por suas belas palavras. Hoje de manhã, ao desabafar com ele as dúvidas de um coração em desordem, recebi a direção perdida, que apesar de confusa, soa como o encaixe perfeito entre mim e tudo que está em volta.
"Tudo é igual. Aqui se vive, aqui se morre. Dentro e fora da gente"
Obrigada pelas palavras meu querido. Obrigada por tudo!

28 de mar de 2011

Revista Page já nas bancas!

Oi amores!
Voltei pra avisar que a revista Page já está nas bancas aqui em Foz! Esse mês tem uma matéria bacana sobre a Lady Bera, uma banda iguaçuense que tem dado o que falar no circuito: música boa-e-de-qualidade.
Além disso, muitas outras matérias sobre moda, comportamento e turismo preenchem as páginas da revista!
Vocês encontram a Page na Banca Cultural, Banca da Bia e Caruso!

A Page tambem está no Facebook e no twitter com um monte de novidades e aquelas promoções legais que a gente adora!

Ah sim, os blogueiros que tiverem interesse podem enviar textos, crônicas, contos e poemas para a coluna Café com Leitura. #FicaaDica!

Boa leitura gente!

23 de mar de 2011

'Sorte no jogo
azar no amor
de que me serve
sorte no amor
se o amor é um jogo
e o jogo não é o meu forte,
meu amor?'

Paulo Leminski

18 de mar de 2011

Curitiba!

Não é só o meu olhar que muda. É todo meu espirito. Minha alma.
E não se trata apenas das pessoas ao meu redor. É a cidade em si, que sempre me chamou atenção e hoje me acolhe como colo de mãe. Estar em Curitiba é muito mais do que passeios ao Jardim Botânico, ao Parque Barigui e ao Museu do Olho. Estar em Curitiba é uma fuga, confesso. Mas uma fuga que deu certo. Aqui me sintoo segura. Aqui sou tão pequenininha como sempre quis ser.
Acho que esse emaranhado de prédios, casas, árvores e pessoas me leva pra um novo estágio. Pra um ponto bem longe de tudo que já vivi e já senti. Aqui a distancia se chama saudade e o passado fica bem no lugar dele. Aqui o futuro me chama e a felicidade canta todos os dias.
Não, não sou uma turista apaixonada. Venho a Curitiba todos os anos. Acontece que neste momento, ela esta diferente. Eu estou diferente. E é isso o que vale.
I like!

13 de mar de 2011

vai passar...

Excentricidade nunca me atraiu. Detesto o que é extravagante, aquilo que chama a atenção pela anormalidade. O tal do 8 ou 80 não cola comigo. Em muitas situações preciso ser outro número, o meio termo, manter o equilíbrio e o bom senso.

Se optasse pelo 8 ou 80 seria extremamente feliz ou extremamente triste. As pessoas reconheceriam meu sorriso a quilômetros de distância, mas também notariam meus medos, minhas fragilidades e meus problemas em um piscar de olhos.Uma vez, quando ainda menina, meus sentimentos afloravam a quem quisesse ver. Eu gostava, sentia prazer em exibir minha felicidade. Hoje não. Hoje eu fico com ela bem quietinha, assim como tenho feito com minhas tristezas. Nunca gostei de gente que monopoliza a tristeza, que dramatiza uma história. Prefiro pensar que tudo isso, toda essa tristeza, uma hora vai embora.

Apesar de toda minha fé estar imensamente abalada, tenho certeza que existe alguém lá em cima que ainda me ouve. E se esse ano não começou tão bem, prefiro pensar que tudo isso servirá de lição.Mais: servirá de um belo aprendizado para o ano que vem, que sem duvidas será melhor, muito melhor!


"Quem procura não acha. É preciso estar distraído e não esperando absolutamente nada. Não há nada a ser esperado. Nem desesperado"
(Caio Fernando de Abreu)

7 de mar de 2011

O Carnaval

Acho lindo ver as escolas de samba do Rio de Janeiro desfilarem.

E esse é meu carnaval. Ficar em frente a tv acompanhando desfiles, comentários e assistir a apuração na quarta-feira de cinzas.
Aliás, assim como a Tatiane Lopatiuk, eu também adoro ouvir o “dez, nota dez”, dito pelo narrador que eu não faço a mínima idéia quem seja. Mas acho a voz tão grave e bonita que sempre fico torcendo pra alguma escola. Pura animação!

No carnaval eu também trabalho. Sim, porque todos os jornalistas trabalham no feriado. Então gostando ou não, eu vou pra avenida atrás dos homens travestidos de mulher, das crianças lindinhas fantasiadas e dos blocos carnavalescos. No fim, sempre rende algumas risadas.

O fato de eu não gostar de carnaval não faz de mim uma pessoa menos sentimental. Eu gosto de ver as pessoas dançando, brincando e se divertindo nestes quatro dias. Embora ainda ache mais produtivo ficar em casa fazendo uma comidinha gostosa (gordinha que sou!).

Anos atrás eu também gostava do carnaval de Salvador, mas hoje a Ivete Sangalo e seus companheiros tem passagem livre. Vi uma reportagem falando sobre preços de “abadás” – as camisetas que os foliões usam pra seguir atrás do trio elétrico. Cada um chega a custar em torno de R$ 1 mil. Cada folião segue no mínimo 5 trios, ou seja, uma viagem a Salvador no Carnaval sai mais caro que quinze dias de férias em uma praia bonitona do Nordeste. Haja dinheiro, e haja fôlego pra agüentar Chiclete com Banana, Cheiro de Amor e Banda Eva.

Não obrigada.

Para ser sincera, o que eu mais gosto do carnaval é saber que ao final dele estaremos mais perto da Páscoa! Ah sim, da Páscoa eu gosto. E quem não gosta? Minha família tem costume de decorar a casa na páscoa como se decora no Natal, e fica tudo tão lindinho que dá vontade de ser criança outra vez. O melhor pra mim é ir ao supermercado e comprar um monte de chocolates e docinhos gostosos e distribuir pra todo mundo! Já estou aqui pensando em qual chocolate vou querer este ano, ta bom mãe?

Mas então meus amores, é isso! Hoje aproveito meu dia de folga pra amanhã cobrir o ultimo dia de carnaval. Alá-lá-ôô!


Ao final deste post percebi que nem o desfile das escolas de samba eu assisti esse ano. Mas tá tudo certo! Nem triste eu fiquei!

1 de mar de 2011

O blog foi pra revista!


Meus amores, voltei! Cá estou atualizando este blog que recebeu uma repaginada e ficou ainda mais lindo (modesta que sou!). E toda essa mudança deve-se a minha amiga Tainá Facó! Porque vocês sabem que eu, definitivamente, só entendo de escrever (e olhe lá!). O resto fica na mão de quem sabe! Eu só peço o favor, digo o que quero e ela dá forma a tudo!
Ficou muito bom Tainá! Eu adorei de verdade, e mais uma vez, obrigada! Sem você eu nada seria!

E esta cara nova tem um bom motivo: O Daquele Jeito virou coluna de revista!
Isso mesmo gente! Fui convidada pela Revista Page a passar de colaboradora a colunista.
Aceitei o convite com a proposta de tornar meu novo espaço uma sequência do blog, ou seja, uma continuação - de tudo o que rola aqui. Legal né!
A Page é uma revista nova, porem, cheia de boas idéias e com um conteúdo muito bacana!
Ela circula em Foz do Iguaçu (PR), Ciudad del Este (Paraguai) e em Puerto Iguazu (Argentina).
A revista é mensal e todo material é bilingue, para uma boa comunicação com
nuestros hermanos!

Já estou na revista desde a primeira edição, em dezembro do ano passado e agora a coluna ganha nome e sobrenome! (Muito chique ein)
É isso meus queridos e amados leitores! Espero que assim como eu, vocês tambem tenham gostado da idéia e passem a ler a revista - ela é mensal e a próxima edição circula a partir do dia 10 de março!

Um beijo em todos e até a próxima!

(Foto: Fotografe Studio)