30 de jun de 2008

A cabeça dói, o estômago dói, as pernas doem, as costas doem, os braços doem e meus olhos parecem estar sobrecarregados.
Tem dias que me sinto um traste. Daquele tipo que não serve pra nada; só para dormir.
É, hoje euu tô assim mesmo, e como diria minha vó: "É DOR DE JUNTA"
Não vejo a hora de ir pra minha casa, fazer uma sopinha e dormir bem gostoso até as 7 hrs de amanhã!

:*

28 de jun de 2008

Já está na hora! Já é o dia!

E ele está cada vez mais perto! O dia tão esperado, (pelo menos pra mim) está há menos de seis meses!
As idéias sobre futuros brilhantes tomam conta da minha cabeça sim, e me desculpe os pessimistas, eu acredito em um futuro bom! Acredito nas formas, no conteúdo, no talento e em todas as capacidades que o ser humano pode desenvolver. Ser feliz, ter um bom trabalho, uma família. Sim, esses são desejos de todos, ou pelo menos da maioria, e pra mim não é diferente.
Quero sim ser muitíssimo feliz, e vou ser! Mas agora, o meu trabalho está em primeiro plano, (além da minha família, é claro). Quero fazer algo que eu seja totalmente apaixonada. Quero me apaixonar todos os dias! Imaginar, criar, produzir! Eu amo o que já faço... que é escrever, mas ainda tenho muito o que aprender, e por isso, vou tendo bases através de alguns amigos jornalistas "dinossauros".
Minha mãe sempre me dá alguns empurrões, o que me ajuda muito. Porque sou medrosa ainda =/ Se ninguém gritar comigo uma vez ou outra, tenho a impressão que parei no tranco! Louco isso não? O fato é que hoje estou feliz, pensativa e pronta para daqui cinco meses e meio ser JORNALISTA!
Adoro demais da conta!:D

27 de jun de 2008

Saudade Dói

Em alguma outra vida, devemos ter feito algo de muito grave, para sentirmos tanta saudade...
Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, doem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu.Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.
Doem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.Saudade da presença, e até da ausência consentida.Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã. Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter. Saudade é basicamente não saber.Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio.Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.Não saber se ela ainda usa aquela saia.Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada, se ele tem assistido as aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua preferindo Malzebier, se ela continua preferindo suco, se ele continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados, se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor, se ele continua cantando tão bem, se ela continua detestando o MC Donald's, se ele continua amando, se ela continua a chorar até nas comédias.Saudade é não saber mesmo!Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer.

Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler...

(Miguel Falabela)

26 de jun de 2008

Filme: Modigliani

Hoje, muita gente ainda se pergunta: o que é um Modigliani? É um retrato, de preferência um retrato de mulher, tratado segundo a tradição o retrato decorativo da escola italiana. O traço é sublinhado, constantemente visível. Percorre e organiza a superfície da tela obedecendo a um ritmo de grandes curvas melodiosas. Sugere o corpo humano mediante recurso a deformações arbitrárias: o pescoço e as mãos são desmedidamente alongados, o dorso é relativamente curto, a cabeça - diminuta com relação ao conjunto - é organizada em torno da linha vertical do nariz, e os olhos são pequenas amêndoas. Quase sempre, o modelo está sentado numa cadeira, numa atitude que mistura melancolia e indiferença ou uma sensualidade amortecida e pensativa. Em outras palavras, o que Modigliani exprime é muitas vezes melancolia serena e discreta ou uma estranha ternura ou uma sensualidade melodiosa. Nunca algo que seja "doentio" ou "perverso". Sempre uma pintura inteligente.
Foi em 1917 que o destino aproximou Modigliani da jovem que seria sua companheira para além da morte: Jeanne Hébuterne. Ele a amou e a pintou com toda a doçura de que era capaz. Procurou poupá-la ao máximo de suas próprias explosões de cólera, da ira que o ácool fazia subirà tona. Mas não pôde poupá-la da fome, da miséria, da incerteza, agravadas pela má saúde.
É possível dizer da vida breve de Amedeo Modigliani que tenha sido uma sucessão de caprichos, bebedeiras e derrotas. De miséria e de tristeza. Muitos de seus comtemporâneos o consideravam um boêmio conservador, que buscava uma impossível reconciliação entre a tradição e a audácia. Enganaram-se. O verdadeiro Modigliani passou perto deles, quase invisível, como um personagem de conto de fadas, que dissimula sua identidade como um príncipe com roupa de vagabundo. Um príncipe que um dia escreveu: "A vida é um dom. De poucos para muitos. Dos que sabem e possuem aos que nem sabem e nem possuem".
Modigliani soube. Modigliani possuiu.

Tá perto!!!!










2005...2006...2007...2008!











24 de jun de 2008

O caminho do Paraíso...


Talvez não seja nessa vida ainda
Mas você ainda vai ser a minha vida
Entao a gente vai fugir pro mar
Eu vou pedir pra namorar,
Você vai me dizer que vai pensar,
Mas no fim, vai deixar

Talvez não seja nessa vida ainda
Mas você ainda vai ser a minha vida
Sem ter mais mentiras pra me ver
Sem amor antigo pra esquecer
Sem os teus amigos pra esconder
Pode crer, que tudo vai dar certo
Você acredita em uma outra vida, só nós dois?
Pode crer, que tudo vai dar certo





22 de jun de 2008

Apaixone-se!


Apaixone-se definitivamente pelo seu sonho: o sonho de ninguém deve ser mais apaixonante que o seu.
Apaixone-se pelo seu talento, mesmo que seu senso crítico insista para você escolher realizar outras coisas mais "convenientes".
Apaixone-se pelo seu corpo, mesmo que ele esteja fora de forma, pois de "qualquer forma" ele é a única casa que você possui.
Apaixone-se por aquelas besteiras saudáveis que passam por sua mente entre um e outro momento de estresse, eles ajudam a sobreviver.
Apaixone-se por alguém, não espere alguém se apaixonar antes por você, só por garantia e segurança.
Apaixone-se mais pelo significado das coisas que você conquistar do que pelo seu valor material. Apaixone-se por suas idéias, mesmo que tenham dito que elas não serviam pra nada.
Apaixone-se pela música que você pode ser para alguém !
Apaixone-se por ser humano! Apaixone-se definitivamente por você!
Apaixone-se rápido!
O poder de decisão só pertence a Voce

Quanto tempo será que demora?

Eu queria ter o dom de escrever por metáforas, assim como fazem os poetas...
Mas sou direta, sem rodeios e bem sincera, o que as vezes, pode ser um grave defeito meu.
Então, é domingo. E esse dia não é tão bom pra mim.
Quero fazer mil coisas. Tenho tantos trabalhos pra terminar, mas não consigo me concentrar em nada. Vim até o jornal pensando adiantar as mil tarefas, mas infelizmente, não consigo.

Gente, é sério. Tô ficando cada dia pior... cada dia mais chata e mais louca.
Nada me agrada. Tudo me irrita, e as coisas sempre demoram pra acontecer.
Inclusive, acabei de ficar irritada, e não quero mais escrever.
:*

19 de jun de 2008

As sem-razões do amor


Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.
Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.
Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem
(e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

18 de jun de 2008

curto tempo

Não é só de músicas e poesias que se vive uma pessoa né!
Então vamos escrever alguma coisa nesse blog para ativar o sistema! haha
Bom, minha vida anda uma correria danada, por isso, me falta inspiração para escrever as vezes.
Mas podem acreditar que todas as letras de música que posto aqui correspodem exatamente com o meu dia.
Bem, quando chega essas horas, e eu estou em casa, quase congelando de frio... me resta ouvir uma boa música e conversar com pessoas que eu gosto também.
Coisa que eu sinto falta durante a confusão dos meus dias de trabalho...
As vezes eu penso demais e acabo tendo medo das minhas próprias idéias, por isso, quando não penso muito (como hoje), me sinto mais a vontade... mais calma.
Mas minha vida quase nunca é assim, e minha cabeça atualmente está tomada por projetos de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), gravação do documentário e por aí vai.
Mas tem dias que eu PARO! Mereço um tempo só pra mim... pra fazer o que eu gosto, sem pensar nas datas e horários de entregas.
Termino esse post ouvindo Shakira (adooooro) e amanhã, se der... eu volto!
Beijinhos :*

17 de jun de 2008

Quando eu te vejo...



Espero teu beijo
Não sinto vergonha
Apenas desejo
Minha boca encosta
Em tua boca que treme
Meus olhos eu fecho
Mas os teus estão abertos
Tudo bem se não deu certo
Eu achei que nós chegamos tão perto
Mas agora - com certeza eu enxergo
Que no fim eu amei por nós dois
Esse foi um beijo de despedida
Que se dá uma vez só na vida
Que explica tudo sem brigas
E clareia o mais escuro dos dias
Tudo bem se não deu certo
Eu achei que nós chegamos tão perto
Mas agora - com certeza eu enxergo
Que no fim eu amei por nós dois
Mas você lembra! Você vai lembrar de mim
Que o nosso amor valeu a pena
Lembra... é o nosso final feliz
você vai lembrar...vai lembrar...sim...
você vai lembrar de mim

15 de jun de 2008

domingo.


"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos".
(Fernando Pessoa)

13 de jun de 2008

BAZAR


Então gente, amanhã acontece lá em casa o um super mega hiper bazar!
Todas as minhas amigas já estão convidadas a participar!
A intenção é levar tudo o que não se usa mais, seja sapatos, roupas, acessórios e o que tiver "sobrando" em casa!
O "evento" acontece a partir das 16h!
Beijokas

12 de jun de 2008

"O dia"

Logo pela manhã, eu escrevi um daqueles textos bem inspiradores, desejando aos namorados e namorados do meu brasil (varonil) muitas felicidades, beijos, abraços e tudo o que eles merecem.
Mas, no momento em que cliquei para postar, a internet caiu e eu perdi todo o texto.
Essas coisas acontecem, mas eu sempre fico muito brava! hehe
Então, quando cheguei na faculdade a minha amiga e fiel leitora, Dalila veio me falar que tinha acessado o blog hoje para ver alguma poesia, letra de música ou qualquer coisa romântica para ela escrever para o namorado.
Segundo a Dali, hoje eu faltei com ela! haha
E para me desculpar com a minha flor de liz, que em breve será mamãe pela primeira vez, vou resumir o que penso a respeito dessa data!:D

Primeiramente que ela é totalmente comercial. Isso é fato. A história do dia dos namorados no Brasil foi criada pelo publicitário João Dória. Já que o mês de junho era totalmente fraco nas vendas, nada melhor do que criar um dia especial. E a idéia deu certo. Com o slogan "não é só com beijos que se prova o amor", Dória conseguiu conquistar o público apaixonado.
Bem, mas minha opinião não é exatamente essa. Acredito que assim como o dia dos pais, das mães, das crianças... e tantos outros criados pelo comércio, os corações apaixonados merecem um dia especial para eles.
Veja bem; namorar não é uma tarefa fácil. Além de todo o amor que acompanha esse desenvolvimento, namorar requer prática, atenção, flexibilidade e muita paciência.
É lindo estar apaixonado. Viver momentos sensacionais com aquela pessoa que com toda certeza, você acha que é pra vida toda. Mas calma amiguinhos, nada é pra sempre.
As pessoas que estão lendo isso devem achar: Cruzes, essa Thays é uma encalhada que não gosta de nada.
Muito pelo contrário. Eu adooooro o amor! Adoroooo estar apaixonada. E adooooro namorar!
Faz bem pro corpo, pra alma e pra pele!
Beijar na boca é bom demais! Sentir borboletas no estômago mais ainda.
Mas, como hoje eu não estou namorando, consigo ser mais realista.
O amor existe e eu acredito em almas gêmeas SIM!
Então, para quem não comemorou hoje, espero que o ano que vem seja mais legalzinho!
Além do mais, ele vai cair em uma sexta-feira, melhor para emendar um jantar romântico e uma baladinha...
Para os que estão namorando, desejo todas as coisas mais romanticas do mundo.
Muitos e muitos beijinhos, chocolates, carinhos, etc etc etc.
Então é isso gente! beijoooooo e até amanhã!:*

11 de jun de 2008

Reportagem Impressa


É isso aí... Pelo terceiro ano consecutivo e pela insistência dos meus colegas (porque eu sempre morro de vergonha), levamos o prêmio do FESTICOM - Festival de Comunicação da UDC.
Esse ano, ganhamos na categoria MELHOR REPORTAGEM IMPRESSA, com a matéria "Cadê o maninho?", produzida por mim e pelo meu amigo Carlos Luz.
No ano passado, durante a disciplina de Reportagem em Profundidade, resolvemos ir além dos problemas que assolavam a nossa cidade, e conhecemos uma história.
A história de Rodrigo, um adolescente de 17 anos, vítima da violência em Foz do Iguaçu.
Levantamos dados sobre o número de crianças e adolescentes assassinadas na cidade, pesquisamos as fichas das famílias que perderam parentes, e através de alguns outros dados, chegamos a casa da família de Rodrigo.
Lá, conhecemos uma história de vida, diferente daquela exposta nos jornais.
A vida dele, assim como os dados das demais vítimas foram temas abordados na nossa matéria.
Como ela é muito grande, nunca postei no blog... mas eu e o Carlos estamos vendo um jeito de publicá-la em algum lugar!
Não gostaria de editar, então, assim que possível, eu passo um link para a leitura!
:D

ACADÊMICOS DE RELAÇÕES PÚBLICAS HOMENAGEIAM CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA


Os acadêmicos do 5º período de Relações Públicas da UDC prepararam uma homenagem ao Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, que será realizada nos dias 12 e 13 de junho.

O evento fará parte das atividades da disciplina de Eventos em RP e, entre outros objetivos, visa proporcionar aos acadêmicos o planejamento e a organização de um evento real, vivenciando na prática a teoria aplicada em sala de aula.

Várias atrações vão fazer parte da homenagem, como Oficina de Origami, Exposições de Fotos sobre o Japão, Exposição de Mangás , degustação da culinária japonesa, Mostra sobre religião e um “Cantinho Japonês”, com trajes e objetos típicos japoneses para que os acadêmicos se caracterizem e tirem fotos divertidas.

Tudo vai acontecer no hall de entrada da UDC, entre as 19 e 22 horas, desta quinta e sexta-feira. Acadêmicos e professores de todos os cursos estão convidados a participar.

Mais informações podem ser obtidas com a acadêmica Regislaine (9977-1960).

9 de jun de 2008

Pode ser praia também!:D


Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa compor muitos rocks rurais
E tenha somente a certeza
Dos amigos do peito e nada mais
Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa ficar no tamanho da paz
E tenha somente a certeza
Dos limites do corpo e nada mais
Eu quero carneiros e cabras pastando solenes
No meu jardim
Eu quero o silêncio das línguas cansadas
Eu quero a esperança de óculos
Meu filho de cuca legal
Eu quero plantar e colher com a mão
A pimenta e o sal
Eu quero uma casa no campo
Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros
E nada mais...

Elis Regina

7 de jun de 2008

Gazetinha na Fartal!

Genteeee! Eu fui ontem na Fartal e realmente, tá uma delícia!!!
A variedade gastronômica, as bijus baratíssimas, os artenasatos, quadros, roupas e tudo o que vocês possam imaginar! A organização das barracas este ano esta surpreendente!
Uma ótima opção pra ir com a família!
Ah! tem outra... a Gazetinha esta sorteando assinaturas on-line para quem passar pelo estande! Além de poder levar uma edição bem bonitinha do jornal! Legal né!
Mas então é isso, a 32ª Fartal segue até o dia 10 de junho - aniversário de 94 anos de Foz do Iguaçu -.

6 de jun de 2008

A Saionara sem coleira

Pois é...hoje ela tá sem coleira mesmo, e ao contrário da Aline, eu nem vou tentar explicar.
Só sei dizer que eu estou muito, mas muito puta hoje! Chega ser hilária essa minha raiva toda. No final, eu só posso dar risada.
Toda sexta-feira é conturbada, isso é normal, mas hoje o bicho pegou!aiaiai....
Por favor, eu mereço uma cerveja bem gelada assim que chegar na faculdade... só pra começar bem o final de semana.
Porque amanhã ainda tem trabalho, mas terça-feira é feriado! Uhuuu!!!!

5 de jun de 2008

Eu tô tentando...

eu tou tentando largar o cigarro
eu tou tentando remar meu barco
eu tou tentando armar um barraco
eu tou tentando não cair no buraco
eu tou tentando tirar o atraso
eu tou tentando te dar um abraço
eu tou penando pra driblar o fracasso
eu tou brigando pra enfrentar o cangaço
eu tou tentando ser brasileiro
eu tou tentando saber o que é isso
eu tou tentando ficar com Deus
eu tou tentando que Ele fique comigo
eu tou fincando meus pés no chão
eu tou tentando ganhar um milhão
eu tou tentando ter mais culhão
eu tou treinando pra ser campeão
eu tou tentando ser feliz
eu tou tentando te fazer feliz
eu tou tentando entrar em forma
eu tou tentando enganar a morte
eu tou tentando ser atuante
eu tou tentando ser boa amante
eu tou tentando criar meu filho
eu tou tentando fazer meu filme
eu tou chutando pra marcar um gol
eu tou vivendo de rock 'n roll

4 de jun de 2008

"Vamo embora fazer festa!!!"

Formada no início de 2006, a Banda Epidemic têm mostrado que veio para ficar, cativando dezenas de fãs por onde passa. Apresentando um repertório variado e com uma energia contagiante, a banda exibe em seus show’s estilos como pop rock, reggae, e flash back’s que marcaram época.
As diferentes influências musicais dos integrantes da Banda oferecem um show com apresentações inusitadas, deixando o público totalmente integrado com as canções.
Hits como “Robocop Gay”, “Não quero dinheiro” “La Bamba”, “I Feel Good” e “Wisky a gogo” são alguns dos covers mais pedidos pelo público, além, é claro, do pop rock atual.
A banda já passou por algumas cidades do interior do Paraná, Argentina e Paraguai, mas isso ainda não é o bastante, e vêm buscando o aperfeiçoamento para chegar a cumes mais altos.

Formada por:
José Airton :Vocal
Mairon:Guitarra
Leo pexero : bateria
Maycom : guitarra
Haru:Baixo

ASSISTAM NESTE SÁBADO, 07/05, A BANDA EPIDEMIC NO PROGRAMA CONEXÃO DO SBT, A PARTIR DAS 10 HORAS!

3 de jun de 2008

Quem sou eu.

Fiz um texto esse final de semana para colocar no profile do orkut; e tentei por inúmeras vezes, postar ele aqui no meu blog. Como não consegui colocar aqui do ladinho, vou deixar aqui mesmo, só pra não ficar muito parado... hehe
Alguém que tenta sempre falar na primeira pessoa, mas se confunde um pouco.
Então...é uma menina de 20 anos que está aprendendo o que é a vida.
Que gosta de “música, letra e dança” e outras “cositas a más”.
Que ama e dá valor as amizades e a família. Que luta pelo que acha certo e empina o nariz pra quem não gosta.
Aquela que responde apenas com um olhar algumas perguntas. Que fala bastante, mas fica quieta quando está triste.
Que dá bom dia para as pessoas na rua (mesmo não sendo retribuída de vez em quando).
Que gosta do verão e do inverno, mas prefere a praia, o sol e o tererê.
Prefere livro de poesia a romances literários.
Acredita nas pessoas e busca sempre a felicidade, esteja ela onde estiver.
É medrosa. E as vezes só anda com impulso.
Sem motivos, ela também chora. Só para desabafar mesmo. Ela acha necessário pelo menos uma vez por mês.
Já sofreu e passou por situações nunca antes imaginadas. Já ergueu a cabeça e tocou a vida, como deve ser.
Não deixa a peteca cair, mesmo quando tudo parece perdido.
Já aceitou humilhações de cabeça baixa, mas hoje, ganha no grito ou no desprezo.
Gosta de cozinhar e a cada dia descobre uma receita nova. Tem enjôo nas viagens, e precisa sempre tomar remédio.
Aprendeu a dirigir, mas não acha que é como andar de bicicleta. Ela ainda tem medo e é insegura, mas acredita que o tempo é seu amigo, e um dia chegará sua vez. Gosta de ver Corrida de Fórmula 1 domingo de manhã. Gostaria de poder ficar na cama sempre 10 minutinhos a mais, mas não reclama de ver um dia bonito de sol.
Adora filmes, fotografias e tudo que envolva a arte. Gosta de Chico Buarque, Elis Regina, Los Hermanos e Bob Marley.
Tem amigos de todas as tribos, e se dá muito bem com todas elas. Não gosta de ouvir comentários negativos a seu respeito, vindo de pessoas que ela não conhece. Mas aceita opinião de amigos e familiares. Tem medo da independência, mas aos poucos vai procurando por ela. Não espera a chegada do príncipe no cavalo branco, mas alguém com bons princípios e caráter, capaz de amar e viver momentos sensacionais! Para finalizar, ela não tem namorado e está no último ano da faculdade de jornalismo. Profissão da qual ela tem a absoluta certeza de que fez a escolha certa.
Enfim, é isso.